Dr. Juarez Callegaro

Medicina e Psiquiatria Ortossistêmica

Logo transparente - Ortossistema
O OVO CAIPIRA, ECOLÓGICO (Parte 1)
<<< VOLTAR

   1. Mary Linden, professora de nutrição na U.C.L.A., considera o ovo o único alimento mais perfeito que o leite materno, tendo 2% mais nutrientes que este.

    2. A “fobia” do colesterol do ovo, segundo C. Pffeifer, pioneiro nos Estados Unidos em psiquiatria ortomolecular, implica na crença de que os 400 mg de colesterol de um ovo passem para o colesterol do sangue na mesma proporção. Na verdade, 100 gramas de ovo acrescentam apenas 2,3 mg de colesterol (aos amantes de ovos, ver o site
www.enc-online.org/dietc.htm).

   Os exames laboratoriais da medicina e psiquiatria ortomolecular que permitem acompanhar os efeitos benéficos do ovo caipira de modo individualizado e orquestrado junto com o enfoque sistêmico (15 leis da psiquiatria ortossistêmica) são: Mineralograma do Cabelo e/ou Perfil de Minerais Eritrocitários, que vão sugerir outros exames complementares tais como razão triglicerídeo/HDL, mais importante que razões de Castelli I e II; Hemoglobina Glicada, mais importante que glicemia; Homocisteína (HPLC), LDL Peroxidado, MDA Urinário, Proteína C Reativa (ultrasensível), Fibrinogênio, Ferritina Plasmática, DHEA-S, Pregnenolona etc., muitos correlacionados com a entrevista do paciente e o mineralograma do cabelo (não biorressonância).

   3. Um exame moderno, chamado VAP/CAD, mede 12 tipos de colesterol: 7 tipos de LDL e 5 de HDL. Na visão tradicional, a razão colesterol total/HDL e LDL/HDL são as únicas importantes. Na visão ortomolecular, uma terceira razão, triglicerídeos/HDL, é mais importante para o risco cardíaco e infartos cerebrais silenciosos (SBI), principalmente quando está alto o LDL peroxidado, um tipo de LDL não avaliado pela medicina tradicional, junto com a homocisteína plasmática pelo método HPLC. Ambos aumentam em duas vezes e meia o risco de má circulação cerebral e SBI e, com isso, o início de doenças mentais que triplicaram nos últimos vinte anos (depressão, Alzheimer e Parkinson).

   O ovo caipira faz subir em 10% o HDL e apenas 4% o LDL pelos exames tradicionais, além de baixar o triglicerídeo mais facilmente se houver restrição de carboidratos refinados e exercício para controle de peso. Em parte esse LDL que subiu é um LDL denominado “nativo”, bom porque tem a proteção de vitaminas carotenóides e do complexo E, antioxidantes, que garantem a utilização desse LDL pelas células da pele, sob a ação do sol, produzindo vitamina D. Com isso, o cérebro aumenta o NGF, neurotrofina que protege e regenera os circuitos cerebrais do humor e da inteligência.

   As células cerebrais tem vinte vezes mais mitocôndrias que as do corpo, onde esse LDL nativo é absorvido para produzir Pregnenolona, DHEA, Corticóides, hormônios sexuais responsáveis pela longevidade cerebral e proteção cerebral na menopausa e andropausa. Sem essa proteção de vitaminas, o LDL nativo se transforma em LDL peroxidado que é rejeitado pelas células dos vasos e é devorado pelos macrófagos, os quais estufam, transformam-se em células espumosas e colam na parede dos vasos, morrem e os entopem como se fossem gordura em cano de pia, gerando a isquemia que facilita o infarto e o derrame, inclusive em pessoas protegidas pela medicina oficial destes mesmos problemas, o infarto e derrame; não protegidas, contudo, do SBI que leva às doenças mentais (depressão, Alzheimer e Parkinson), pois muitos remédios que “aumentam”a longevidade cardíaca agravam e até produzem as referidas doenças mentais (ver o site
www4.dr-rath-foundation.org).

   4. A diferença entre o ovo caipira, ecológico, e o ovo comum é muito grande. Por exemplo: o ovo caipira tem seis vezes mais betacaroteno que o ovo comum (o site do Imetro refere que possui cinco vezes mais). O betacaroteno é usado para proteger o ovo de ataque de germes como, p.ex., a salmonela, e 60% dele se transforma em vitamina A. O ovo caipira possui três vezes mais vitamina A, que constrói canais de comunicação (conexões) entre as células, por exemplo, células gliais, babás dos neurônios, para retirar poluentes e adicionar nutrientes, melhorando a razão glia/neurônio, chave da longevidade cerebral, humor e memória. Estas conexões de células também têm nos epitélios células que revestem os “tubos”, por exemplo, o digestivo, o respiratório, elas cercam as células tumorais e as matam. Cada centímetro de terra que a galinha cisca tem 100 milhões de microorganismos para ingerir. Na União Soviética há solos ricos em nutrientes que possuem um bilhão de microorganismos por centímetro cúbico de terra.

Dr. Juarez Nunes Callegaro
CRM 2494
Av. Carlos Gomes, 328 conj. 503
(51) 3379.1039 / 3379.1084



<<< VOLTAR
Dr. Juarez Callegaro
Rua Osvaldo Aranha, 1022 - sala 1218 (Edifício Baltimore) - Porto Alegre
Avenida Princesa Isabel, 323 - sala 404 - Rio de Janeiro
Copyright 2009-2019 © Publimed. Todos os direitos reservados.